5 de janeiro de 2014

Fragmentos: Divã

Acabo gostando da maioria dos livros que leio e dentro deles sempre tem esses pequenos tesouros, essas pequenas frases e parágrafos que acabam de um jeito ou de outro nos marcando. Vamos ler alguns pedaços de "Divã"?! ...

"Se eu lhe disser que estou com medo de ser feliz para sempre, o que você diria?"
"Estou apaixonada, mas não é por uma pessoa. Estou apaixonada pela lembrança de algo leve, solto e rápido, como uma bola de gás que escapa da nossa mão e passa a ficar cada vez menor e distante."
"Não é para menos que todos os bebês choram quando nascem. É tudo tão estranho e violento. A gente está protegido dentro da barriga da mãe e de um momento para o outro vai parar numa sala de cirurgia que mais parece um palco de um show de rock, com refletores para tudo que é lado e nos braços de pessoas que nunca vimos. Nascer é uma novidade e um choque."
"Eu gosto de ler também, mas leitura é uma consciência composta, a sua e a do autor se fundindo, leitura é quase uma pretensão, você e um cúmplice reinventando verdades, confirmando-as, denegrindo-as (...)"
"Uma vida sem sustos. É o que desejo para mim. Não estou dizendo uma vida sem decepções, frustrações ou êxtases: sem susto, apenas. Quero aceitar a potência dos meus sentimentos e não ficar embaraçada diante de reações incomuns. Poder receber uma ventania de pé, mesmo que ela me desloque de onde eu estava. De pé, mesmo com medo."
Daiana Maciel 
Reações: